Sete dicas para se destacar ao participar de processos seletivos

O mercado de trabalho vem exigindo uma diversidade de competências profissionais. A concorrência é grande e a alta exigência por qualificação também. Estar preparado para enfrentar os desafios da profissão é fundamental para ter sucesso na carreira. 

Para Ylana Miller, professora de Gestão de Pessoas do Ibmec/RJ e Sócia-Diretora da Yluminarh, "as escolhas devem ser focadas no real interesse de carreira. É importante avaliar as novas oportunidades com critérios objetivos e alinhados ao planejamento de carreira. Participar de processos seletivos com um olhar diferenciado, priorizando as motivações e satisfações são fundamentais para a construção de uma trajetória de carreira". 

Para auxiliar quem vai participar de processos seletivos, Ylana Miller dá sete dicas que podem ser valiosas nos passos que antecedem uma contratação:

1. Atualmente o foco principal não é mais conhecimento técnico, e sim as habilidades e atitudes que diferenciam o potencial do candidato.

2. A tecnologia facilita a fase de recrutamento, desde a triagem de candidatos alinhada ao perfil das vagas até a aplicação de testes e/ou inventários que facilitam conhecer ainda mais o potencial dos talentos. Por vezes, a gamificação também ajuda nesta descoberta de novos talentos. As organizações investem na divulgação da sua marca com criatividade para atrair profissionais diferenciados.

3. Ao decidir participar de um processo seletivo o profissional deve ter em mente que o processo de escolha é mútuo, tanto da empresa quanto do candidato. O contratante avaliará os atributos e potencial do candidato, e o profissional deverá analisar a missão, cultura e valores organizacionais, além dos desafios do cargo proposto e se o plano de carreira está alinhado com a proposta. A escolha deve ser de ambas as partes.

4. No caso dos recém-formados,  é comum participarem de dinâmicas de grupo, que checarão os aspectos comportamentais mais relevantes assim como as competências essenciais para a empresa contratante. Estas atividades podem revelar como o candidato se comporta em situações de conflito, como é a sua argumentação, qualidade de entrega, autonomia, liderança, dentre outros. Inexiste um padrão de comportamento adequado a ser seguido pelo candidato. Sua postura deve ser natural, demonstrando como é, o que pensa e o que pretende com leveza e desenvoltura.

5. Nas entrevistas com a área de Recursos Humanos se permite ainda mais aprofundamento nas habilidades e atitudes do candidato. Entrevistas por competências focadas em casos e exemplos práticos ajudam a identificar e conhecer o potencial mais alinhado à posição em aberto. 

6. Para profissionais que buscam posições mais seniores, a técnica usualmente utilizada é a entrevista por competências. Podem até vir a participar de games, jogos que permitem a identificação e análise de alguns atributos. Candidatos que já trazem bagagem profissional devem contar a sua história, com sinceridade. O candidato deve demonstrar não apenas a aptidão ao cargo, mas também a sua vontade de ocupá-lo.

7. É essencial se preparar para a entrevista, fazer o “dever de casa”, pesquisando sobre a empresa, a vaga que pretende se candidatar e relacionando as dúvidas que pretende esclarecer na entrevista. Neste estudo poderá perceber se realmente a oportunidade está alinhada aos seus interesses de carreira, ao seu propósito. É o momento para refletir sobre o que motiva a buscar uma nova vaga, por que está em busca de novas oportunidades e quais aprendizados pretende para a sua carreira.