A Páscoa da crise

Às vésperas da Páscoa, o brasileiro vive numa crise na economia e na política que atinge o bolso de todas as classes sociais. A alta da inflação e do dólar, além do desemprego, fazem com que a expectativa de vendas de chocolates seja menor do que no ano passado.
 
Os dados não são do setor de supermercados ou dos fabricantes, mas um levantamento feito pelo Professor Gilberto Braga, professor de Finanças do Ibmec/RJ, do Rio de Janeiro, mostra que até o último fim de semana, uma semana antes da Páscoa, as estimativas das vendas estavam cerca de 12% inferiores a do último ano. O setor de ovos de Páscoa esperava uma retração de no máximo 4%.
 
O quadro sugere que a partir de sexta-feira, dia 25 de março, deverá haver grandes promoções no comércio, com reduções de preços para desovar os estoques. As "parreiras" de ovos de Páscoa ainda estão lotadas e só tem vendido bem os itens que entram em promoções. Quem deixou para comprar na última hora poderá fazer economia significativa entre sexta-feira e domingo.
 
Os preços aumentaram, em média, entre 10% e 15%, comparando 2016 contra 2015, um pouco mais do que a inflação anualizada pelo IPCA. 
 
Outra característica da Páscoa deste ano é que vários fabricantes de ovos de chocolate diminuíram o peso dos ovos, mas mantiveram os preços do ano passado. Desta forma, pretendem sugerir aos consumidores que os preços não aumentaram, quando na verdade a quantidade do produto encolheu entre 10% e 15%.  Em certo sentido, os fabricantes estão compensando o aumento do preço anual com a diminuição do peso do produto. 
 
O brasileiro vem aprendendo a economizar, pesquisar e até fazer chocolate em casa. Tudo para driblar a crise. Na hora de cortar custos, tem gente optando por não ser tão mão aberta e dando só uma lembrancinha para a criançada. Adulto está fora da lista dos mimos.
 
Percebendo essa tendência de parte dos consumidores, todas as redes de supermercado vêm trabalhando junto com os fabricantes as caixas de bombons como alternativa para os adultos. Há bombons de luxo com redução de média de 20%, como os da marca Ferrero Rocher, até a tradicional caixa de bombons sortidos da Garoto, com preços variando entre R$ 5,50 e R$ 6,50 ou 2 unidades por R$ 10,00 a R$ 11,00.