Ibmec/DF promoveu palestra sobre "Como a economia e a política se conectam"

Ibmec/DF promoveu palestra sobre "Como a economia e a política se conectam"

A intensa movimentação política mundial está agitando diretamente o mercado financeiro. Corrupção, criminalidade, desigualdades sociais, desemprego, guerras civis e comerciais são problemas que atormentam, há muito tempo, a humanidade e só se agravam. Depois de um grande período de recessão, a economia dá sinais de recuperação, mas a população ainda está receosa e desconfiada. Neste sentido, não é possível delimitar onde termina a economia e começa a política, elas se conectam.

Diante disso, o Ibmec/DF realizou, no dia 19 de abril, às 19h, a palestra "Como a economia e a política se conectam". Inspirado no que fez o professor Gregory Mankiw, do Departamento de Economia de Harvard, autor de alguns dos mais utilizados livros didáticos de Economia, o palestrante e professor Carlos Pio compilou ideias fundamentais, de diversos autores da área de economia política, e organizou-as na forma de “dez princípios”, que foram abordados durante o encontro; são eles:

Princípio 1: todos os indivíduos são proprietários de recursos escassos e sua renda é afetada pela variação do valor desses ativos.
Princípio 2: qualquer indivíduo prefere para si mesmo mais do que julga ser bom e menos do que julga ruim.
Princípio 3: todo indivíduo toma decisões sob informação imperfeita.
Princípio 4: todas as organizações da sociedade são compostas por indivíduos e sua capacidade de ação será afetada pelo contexto em que esses indivíduos interagem.
Princípio 5: o mercado e a política são os principais mecanismos por meio da qual a renda circula entre os agentes de qualquer sociedade. As vantagens do mercado são, no mais das vezes, maiores e as desvantagens inferiores.
Princípio 6: ganhos de produtividade, imprescindíveis para o crescimento de longo prazo de qualquer economia, resultam da ação humana e dependem da liberdade para inovar.
Princípio 7: políticas que impõem transferência arbitrária de renda entre indivíduos tendem a desestimular o crescimento da produtividade dos “perdedores”.
Princípio 8: a qualidade das decisões políticas e a eficiência das regulações da economia dependem: a) do controle dos agentes públicos; b) da prevalência do mérito.
Princípio 9: organizações submetidas à concorrência são mais estimuladas a buscar ganhos de produtividade que organizações monopolistas.

Princípio 10: planejamento é mecanismo necessário para tomar e implementar decisões, mas não garante o sucesso das mesmas.

Carlos Pio falou sobre as regras da política, as buscas por votos, a busca por apoio político, a representação de interesses e como isso afeta o funcionamento da economia, por meio da construção das regras, das políticas públicas e os impactos no funcionamento das empresas e na vida dos cidadãos e das relações internacionais.

Ao final do encontro, o professor deixou duas reflexões importantes, que denominou como dilemas morais: o que fazer para maximizar continuamente a renda agregada e, deve-se evitar que decline a renda de alguns a despeito da renda do conjunto?