Empreendedorismo jovem: por onde começar?

Empreender é muito mais do que ter uma boa ideia na cabeça e abrir um negócio. Antes de tudo, é preciso verificar o caráter de oportunidade que esta ideia possui e transformá-la em um negócio viável e estruturado. Entretanto, para que o empreendimento seja realmente algo novo que atenda a uma demanda de mercado, é preciso sair do lugar comum. Para um jovem que pensa empreender, mesmo sem experiência, alguns aspectos precisam ser considerados antes que esta boa ideia seja apresentada ao mercado. Como saber se o meu conceito será bem recebido? Quais os elementos essenciais na hora da estruturação de um modelo de negócios? Estas e outras perguntas podem surgir na hora de colocar a ideia em prática.
 
Segundo João Bonomo, o coordenador do Núcleo Acadêmico de Vocação Empreendedora do Ibmec/MG, o jovem empreendedor de hoje tem, cada vez mais, procurado realizar atividades fora do comum. “A atual geração de jovens busca ampliar seus conhecimentos a respeito de negócios, procura conhecer novidades, se arriscam bem mais do que as gerações anteriores, pois não procuram sucesso financeiro a qualquer preço”, diz ele. Para esta geração cada vez mais interessada em pensar fora da caixa, o professor dá algumas dicas para quem deseja montar um negócio, mas não sabe por onde começar.
 
1) Assuma uma postura de empreendedor: “É imprescindível que o indivíduo que teve a ideia seja curioso, proativo, busque autonomia e tenha uma tolerância ao risco um pouco mais elevada que os demais indivíduos. É indispensável que ele tenha alguma ideia que esteja fora do lugar-comum. Para tanto, é preciso sair da zona de conforto e ter resiliência”, diz João Bonomo.

2) Não tenha medo de arriscar: “As pessoas, em sua maioria, se veem diante da possibilidade de empreender, mas ao mesmo tempo conseguem perceber que existem outros caminhos com menor risco, e normalmente optam por estes caminhos”, aconselha o professor.

3) Teste as suas hipóteses: De acordo com João Bonomo, “o empreendedor deve estar sempre se testando e avaliando na prática as suas ideias. Perceber erros, equívocos e melhorias que possam ser implementadas também são bons canais. Ser um eterno insatisfeito e querer sempre algo mais do que está posto são outras atitudes que os jovens devem desenvolver para se sentirem mais empreendedores. Testar, testar, e testar o produto (ou serviço). O mercado e sempre estar disposto a alterar o que for necessário para o sucesso de suas ideias”.

4) Mire-se em experiências de sucesso: “Participar de eventos ligados ao universo do empreendedorismo, estabelecer contatos entre empreendedores, conhecer como eles realizam seus trabalho, como lidam com situações controversas, estudar sobre casos de sucesso e de fracasso, conversar com pessoas que possuem experiência nas áreas que pretende empreender, conhecer competidores, mercados, fornecedores, participar de cursos, palestras e workshops sobre empreendedorismo e jamais descarta ideias só porque outras pessoas não gostaram delas”, conclui o coordenador do Núcleo Acadêmico de Vocação Empreendedora do Ibmec/MG.