Alunos do MBA Gestão e Políticas Públicas, do Ibmec Brasília, desenvolveram alternativas para coleta seletiva de lixo

Por meio da disciplina 'Análise e Formulação de Políticas Públicas' – ministrada pelo prof.: Eduardo Galvão, que faz parte da grade do MBA Gestão e Políticas Públicas, do Ibmec/DF, os alunos desenvolveram alternativas para coleta seletiva de lixo. O objetivo do grupo foi traçar soluções sustentáveis para resolver problemas enfrentados pela iniciativa.


Os alunos foram instigados a avaliar uma política pública real, por meio do diagnóstico do contexto, amplitude, intensidade e tendência.

Feito o diagnóstico completo, os alunos atuaram na definição do problema e só então definiram o objetivo frente ao problema estudado. Realizaram propostas de soluções possíveis, com a respectiva análise custo-benefício, viabilidade política de implementação e seção generativa (receptividade da população), seguindo as premissas fundamentai para formulação de políticas públicas.

A metodologia de transição de dados utilizada na construção do trabalho foi o Design Thinking, por priorizar a utilização de meios visuais diferenciados, que facilitam a compreensão por todos e viabilizam o brainstorming e a geração de novas ideias e propostas. A aluna Carolina Reis destaca que “a metodologia utilizada permitiu ao grupo experimentar as ferramentas mais modernas e adequadas para formulação de políticas públicas relevantes, podendo ser aplicado para solução de problemas enfrentados cotidianamente”.

Para ela “o trabalho foi especialmente interessante, pois realmente utilizamos todas as ferramentas apresentadas na aula e isso permitiu ao grupo (e à turma) ter uma visão mais abrangente do assunto, com o ponto de vista de diversos atores.”

Trata-se de um assunto de grande relevância, tanto pelo aspecto ambiental (reduzir a poluição que geramos), quanto pelo aspecto econômico; nos países desenvolvidos há um nicho de mercado concentrado em coleta de resíduos, na Alemanha, por exemplo, existe inclusive curso superior nesta área.

A expectativa do grupo, após as eleições, é apresentar o projeto a esferas governamentais, porém acreditam que é assunto delicado e pouco apoiado por parte, inclusive, da população, talvez por falta de conhecimento ou por falta de interesse. Ao mesmo tempo, consideram ser uma questão muito relevante.